Desde o início da pandemia do coronavírus, no ano passado, os preços de veículos ao consumidor não param de subir no Brasil. Os reajustes sucessivos chegaram a tal ponto que hoje um carro compacto zero quilômetro pode chegar a custar mais de R$ 100 mil…

A situação não tem sido diferente quando se trata de veículos usados e seminovos que dependendo do modelo, os valores praticados por concessionárias e lojas multimarcas chegam a ser maiores do que os cobrados pelo mesmo carro, porém novo. Isso se o veículo zero pretendido estiver disponível, já que muitos modelos tiveram ou ainda têm a produção paralisada por conta da falta de componentes em especial, semicondutores.

Confira alguns dos motivos para essa disparada nos valores cobrados, sendo a maioria deles é global, diretamente conectada à pandemia da Covid-19:

  • Paralisação de fábricas por falta de semicondutores;
  • Baixo estoque de usados e seminovos;
  • Retomada gradual da economia.

Fatores como o aumento das alíquotas de ICMS no Estado de São Paulo, o aumento de custos de insumos como aço, elastômeros e resinas e o grande salto nos valores logísticos, principalmente nos transportes aéreos e marítimos.

No Grupo Michelin, você encontra um variado estoque de veículos novos e seminovos revisados com a confiança de que já atua há 45 anos no mercado automotivo.

Clique em nosso site, escolha o modelo que mais lhe agrada e negocie conosco: https://grupomichelin.com.br

Ou visite a nossa concessionária multimarcas:
📌 R. Dr. Jaguaribe, 496 – Botucatu/SP
📲 WhatsApp clique > bit.ly/GrupoMichelin
☎️ (14) 3354-9334

*Fonte: Uol